Facebook - logo                                         

POSFÁCIO À OBRA "COOPERAÇÃO JURÍDICA INTERNACIONAL EM MATÉRIA PENAL: A EFICÁCIA DA PROVA PRODUZIDA NO EXTERIOR", DE FÁBIO RAMAZZINI BECHARA (Saraiva, 2011)

                             

                                 O trabalho “Cooperação Jurídica Internacional em Matéria Penal: eficácia da prova produzida no exterior”, pertence ao patrimônio intelectual de seu autor, FÁBIO RAMAZZINI BECHARA, que ora entrega generosamente a comunidade jurídica nacional, na expectativa de contribuir para o debate do relevante tema. A prova penal, sua produção e eficácia a luz das normativas internacionais e a compreensão de seu fenômeno no direito estrangeiro, sempre sob o paradigma do respeito às garantias fundamentais, foram objeto de madura pesquisa e arguta reflexão. Nada mais consentâneo ao perfil deste talentoso cientista do direito, da escolha do tema à sua dissecção, cujo olhar preciso sobre a realidade cambiante, já pode perceber que o novo direito se construirá sob o enfoque do “quinto método”, o direito comparado, ou não se construirá. Vivemos, ademais da globalização mercantil, um processo onde valores e experiências são mutáveis e transportáveis para além fronteira, sempre em velocidade inaudita, rompendo com a clássica escala de paradigmas. Testemunhei desde cedo seu valor e sua busca de saber, condições sine quibus non para o bom protagonismo acadêmico. Desde logo profetizava-lhe, em simples observação, de que seria um destacado valor de sua geração, pela potencialidade intelectual que lhe é inerente. A árvore dorme na semente. Pertence a ele este bem enraizado sucesso, cujas sementes profundas foram lançadas em elaborado esforço e planejamento. Assim tem sido. E quem quer que acompanhe sua trajetória as vistas não pararão de subir. Sua introdução no diálogo jurídico com a Europa, se para tanto contribuí, o foi somente na condição de quem testemunha um talento, quando este forja o seu destino, em luta própria e da qual a ninguém é dado impedir. A obra dirá de seu labor. De mim avalizo, sem que o necessite, um caráter impar e uma inteligência que lhe faz par, duas qualidades, que de per si, trazem a reboque todas as demais. O mais lhe virá por acréscimo, como história, na certeza sempre assente de que o destino bafeja com a sorte os bons.

                                  Edilson Mougenot Bonfim